Arquivo da categoria: Educação

As 15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz

Para ser feliz, fazer outros felizes e crescer espiritualmente.  Também porque palavras bem ditas merecem ser replicadas.

Via Mauro Giller  –> Via Share the future  –>  Via Guia Ingresse –> Via World Observer Online

1. Desista da sua necessidade de estar sempre certo

Há tantos de nós que não podem suportar a ideia de estarem errados – querem ter sempre razão – mesmo correndo o risco de acabar com grandes relacionamentos ou causar estresse e dor, para nós e para os outros. E não vale a pena, mesmo. Sempre que você sentir essa necessidade “urgente” de começar uma briga sobre quem está certo e quem está errado, pergunte a si mesmo: “Eu prefiro estar certo ou ser gentil?” (Wayne Dyer) Que diferença fará? Seu ego é mesmo tão grande assim? 

2. Desista da sua necessidade de controle

Estar disposto a abandonar a sua necessidade de estar sempre no controle de tudo o que acontece a você e ao seu redor – situações, eventos, pessoas, etc. Sendo eles entes queridos, colegas de trabalho ou apenas estranhos que você conheceu na rua – deixe que eles sejam. Deixe que tudo e todos sejam exatamente o que são e você verá como isso irá o fazer se sentir melhor.

“Ao abrir mão, tudo é feito. O mundo é ganho por quem se desapega, mas é necessário você tentar e tentar. O mundo está além da vitória.” Lao Tzu

3. Pare de culpar os outros

Desista desse desejo de culpar as outras pessoas pelo que você tem ou não, pelo que você sente ou deixa de sentir. Pare de abrir mão do seu poder e comece a se responsabilizar pela sua vida.

4. Abandone as conversinhas auto-destrutivas

Quantas pessoas estão se machucando por causa da sua mentalidade negativa, poluída e repetidamente derrotista? Não acredite em tudo o que a sua mente está te dizendo – especialmente, se é algo pessimista. Você é melhor do que isso.

“A mente é um instrumento soberbo, se usado corretamente. Usado de forma errada, contudo, torna-se muito destrutiva.” Eckhart Tolle

5. Deixe de lado as crenças limitadoras sobre quem você pode ou não ser, sobre o que é possível e o que é impossível. De agora em diante, não está mais permitido deixar que as suas crenças restritivas te deixem empacado no lugar errado. Abra as asas e voe!

“Uma crença não é uma ideia realizada pela mente, é uma ideia que segura a mente.” Elly Roselle

6. Pare de reclamar

Desista da sua necessidade constante de reclamar daquelas várias, várias, váaaarias coisas – pessoas, momentos, situações que te deixam infeliz ou depressivo. Ninguém pode te deixar infeliz, nenhuma situação pode te deixar triste ou na pior, a não ser que você permita. Não é a situação que libera esses sentimentos em você, mas como você escolhe encará-la. Nunca subestime o poder do pensamento positivo.

7. Esqueça o luxo de criticar

Desista do hábito de criticar coisas, eventos ou pessoas que são diferentes de você. Nós somos todos diferentes e, ainda assim, somos todos iguais. Todos nós queremos ser felizes, queremos amar e ser amados e ser sempre entendidos. Nós todos queremos algo e algo é desejado por todos nós.

8. Desista da sua necessidade de impressionar os outros

Pare de tentar tanto ser algo que você não é só para que os outros gostem de você. Não funciona dessa maneira. No momento em que você pára de tentar com tanto afinco ser algo que você não é, no instante em que você tira todas as máscaras e aceita quem realmente é, vai descobrir que as pessoas serão atraídas por você – sem esforço algum.

9. Abra mão da sua resistência à mudança

Mudar é bom. Mudar é o que vai te ajudar a ir de A a B. Mudar vai melhorar a sua vida e também as vidas de quem vive ao seu redor. Siga a sua felicidade, abrace a mudança – não resista a ela.

“Siga a sua felicidade e o mundo abrirá portas para você onde antes só havia paredes” Joseph Campbell

10. Esqueça os rótulos

Pare de rotular aquelas pessoas, coisas e situações que você não entende como se fossem esquisitas ou diferentes e tente abrir a sua mente, pouco a pouco. Mentes só funcionam quando abertas.

“A mais extrema forma da ignorância é quando você rejeita algo sobre o que você não sabe nada” Wayne Dyer

11. Abandone os seus medos

Medo é só uma ilusão, não existe – você que inventou. Está tudo em sua cabeça. Corrija o seu interior e, no exterior, as coisas vão se encaixar.

“A única coisa de que você deve ter medo é do próprio medo” Franklin D. Roosevelt

12. Desista de suas desculpas

Mande que arrumem as malas e diga que estão demitidas. Você não precisa mais delas. Muitas vezes nos limitamos por causa das muitas desculpas que usamos. Ao invés de crescer e trabalhar para melhorar a nós mesmos e nossas vidas, ficamos presos, mentindo para nós mesmos, usando todo tipo de desculpas – desculpas que, 99,9% das vezes, não são nem reais.

13. Deixe o passado no passado

Eu sei, eu sei. É difícil. Especialmente quando o passado parece bem melhor do que o presente e o futuro parece tão assustador, mas você tem que levar em consideração o fato de que o presente é tudo que você tem e tudo o que você vai ter. O passado que você está desejando – o passado com o qual você agora sonha – foi ignorado por você quando era presente. Pare de se iludir. Esteja presente em tudo que você faz e aproveite a vida. Afinal, a vida é uma viagem e não um destino. Enxergue o futuro com clareza, prepare-se, mas sempre esteja presente no agora.

14. Desapegue do apego

Este é um conceito que, para a maioria de nós é bem difícil de entender. E eu tenho que confessar que para mim também era – ainda é -, mas não é algo impossível. Você melhora a cada dia com tempo e prática. No momento em que você se desapegar de todas as coisas, (e isso não significa desistir do seu amor por elas – afinal, o amor e o apego não têm nada a ver um com o outro; o apego vem de um lugar de medo, enquanto o amor… bem, o verdadeiro amor é puro, gentil e altruísta, onde há amor não pode haver medo e, por causa disso, o apego e o amor não podem coexistir), você irá se acalmar e se virá a se tornar tolerante, amável e sereno… Você vai alcançar um estado que te permita compreender todas as coisas, sem sequer tentar. Um estado além das palavras.

15. Pare de viver a sua vida segundo as expectativas das outras pessoas

Pessoas demais estão vivendo uma vida que não é delas. Elas vivem suas vidas de acordo com o que outras pessoas pensam que é o melhor para elas, elas vivem as próprias vidas de acordo com o que os pais pensam que é o melhor para elas, ou o que seus amigos, inimigos, professores, o governo e até a mídia pensa que é o melhor para elas. Elas ignoram suas vozes interiores, suas intuições. Estão tão ocupadas agradando todo mundo, vivendo as suas expectativas, que perdem o controle das próprias vidas. Isso faz com que esqueçam o que as faz feliz, o que elas querem e o que precisam – e, um dia, esquecem também delas mesmas. Você tem a sua vida – essa vida agora – você deve vivê-la, dominá-la e, especialmente, não deixar que as opiniões dos outros te distraiam do seu caminho.

Etiquetado , , ,

Os (des)valores do BBB11 e a sua inteligência

O texto que reproduzo abaixo está circulando na web como sendo de autoria do Mestre das Letras Luiz Fernando Veríssimo. Vero é que não é preciso conhecê-lo profundamente para saber que ele escreve muito melhor que isso. Além do mais, ele escreve para O Globo, portanto…

Mesmo não sendo de sua autoria, o texto reflete uma dura realidade. Ainda que repita parte dos argumentos colocados em um texto sobre o BBB10, continuo validando a proposta: acabar com sequência da decadência moral da Globo e do BBB. Um verdadeiro atentato aos bons costumes e à moral.

No final do texto há uma enquete. Quero saber o que você pensa.

———————————

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço…A décima terceira (está indo longe!) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil, encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 11 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros… todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 10 é a realidade em busca do IBOPE..

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas. Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível.

Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis?

São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor, quase sempre mal remunerados.

Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo santo dia.

Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis, são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína, Zilda Arns).

Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.

E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a “entender o comportamento humano”. Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores!)

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa…, ir ao cinema…, estudar…. , ouvir boa música…, cuidar das flores e jardins… , telefonar para um amigo… , visitar os avós… , pescar…, brincar com as crianças… , namorar… ou simplesmente dormir.

Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.

________________________

Etiquetado , , , , ,

A falta de educação virou epidemia

Vez em quando, um texto aparece na internet, escancarando a verdade para todos, Aquela verdade que muitos acreditam e querem ver, não a verdade da justiça terrena (minúsculo mesmo), implantada por políticos desditosos que buscam de alguma forma prevenir-se ou aos seus filhos, familiares da punição.

Falo da justiça mal-criada, mal-aceita pelo povo, demagoga como a política do livramento dos menores. O que parece ser um avanço em direção à Paz e à reestruturação da sociedade e dos infratores, nada mais é do que uma bandeira enorme onde se lê “Responsabilidade Social – Paz”, mas tão grande que encobre a verdade: não vamos fazer nada para impedir a pobreza, não vamos dar educação, nem vamos criar possibilidades reais de sociabilização e inclusão social, educacional e no mercado de trabalho para os milhares de desfavorecidos do país.

Coisa para o mundo ver sem enxergar. É preciso e se faz urgente que se reveja os motivos e as leis deste país. Assassino menor de idade -oops – 16 anos, ele não sabe o que faz – é assassino e tem o direito de ser reeducado. Quis dizer direito mesmo, e a sociedade tem o dever de colocá-los em reclusão em instituições de educação.

Quanto ao que você vai ler abaixo, se sua Presidente fosse tudo o que diz ser, pediria que se fizesse deste um exemplo deste caso.

 

J’ACCUSE !!! (Eu acuso !)

Tributo ao professor Kássio Vinícius Castro Gomes

« *Mon devoir est de parler, je ne veux pas être complice. *(Émile Zola)

Meu dever é falar, não quero ser cúmplice. (…) (Émile Zola)

Continuar lendo

Etiquetado , , ,

Um programa imbecil e um Cordel inteligente

Antes de deixá-los com o cordel sem tirar nem por, afiado e afinado, quero deixar também a lembrança de que a Globo não criou e cria muito pouco em termos de programação. O BBB é importação barata que faz muito sucesso lá fora, e olha que existem versões piores do que esta do BBB, na Alemanha, Reino Unido, Japão e outros.

Isso prova que o povo brasileiro não é burro, é a maior parcela dos humanos mesmo.  Brasileiro é ignorante,  é o que ignora, não conhece, não sabe. É diferente de burro. Os alemães, ingleses e japoneses são burros e não são ignorantes. A Globo e o Pedro podem ser muitas coisas, mas burros não são não, rola muita grana e o Pedro certamente sabe o que está fazendo: Ganhando grana.

A solução é a educação formal, a volta da matéria Educação Moral e Cívica e escola e aulas para todos,  sem distinção e sem falsidades, não somente para montar relatório para a ONU e banco Mundial.

Ao mesmo tempo em que a educação formal atingir a todos, trabalha-se a moral. Para deixarmos de ser ignorantes sem necessariamente ser burros.

Sem mais delongas, o cordel:

______________________________________

BIG BROTHER BRASIL, UM PROGRAMA IMBECIL

Autor: Antonio Barreto, natural de Santa Bárbara-BA, residente em Salvador.

Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.

Há muito tempo não vejo
Um programa tão ‘fuleiro’
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.

Leia tudo…

Etiquetado , , , , ,

Bicicleta 0 x 1 Violência na cidade é coco lógica

Será que ainda acreditam por aí que Curitiba é uma cidade ecológica? Estive recentemente em Amsterdan e a cidade é permeada por ciclovias que compartilham as vias normais de trânsito de veículos.

Veja um dos estacionamentos de bicicleta, próxima à estação central de trem.

Estacionamento de bicicletas em Amsterdan

Estacionamento de bicicletas em Amsterdan

Lá, como também em Cologne, bicicletas tem seu lugar, carros tem os deles e pedestres suas calçadas.

Aqui em Curitiba, a prefeitura política e egoísta insiste em socar na mídia a idéia que somos os grandes ecológicos do país.

Quiçá fôssemos.

Sábado passado, dia 25, um amigo pedaleiro acompanhava um grupo de ciclistas pela cidade. Devidamente escoltados pela polícia, já que não se pode confiar na gentileza e educação dos motoristas.

Aconteceu que ele, praticando o que aprendera em família, de como respeitar e ser um cavalheiro gentil, desceu de sua bike para auxiliar um senhor que usava uma bengala a atravessar a rua.

Um dos carros, seguindo o exemplo, parou para dar passagem, mas outro não. Ao explicar ao motorista infrator que o pedestre tem preferência aos veículos, foi abordado pelo Aspirante Senhor Nagata, de arma em punho.

Apelando para conhecimento geral, uma imagem fala mais que…

Da violência

Ciclista recebe o carinho da polícia

Não sei o autor da imagem, se souberem, darei o devido crédito.

Curitiba tem 4.325.838,07 metros de ruas e aproximadamente 102.000 metros de ciclovias.  Não sou bom em matemática, mas não me parece grande coisa. Daí a Curitiba se apresentar como ecológica dá para pedalar um bom tanto.

Mas gentileza não cai de moda, educação se aprende no berço e ecologia e respeito à natureza se tem ou não se tem.

Não percamos as esperanças, um dia os policiais aprendem, os motoristas aprendem, nós aprendemos.

Um dia a Paz há de reinar. Se seguirmos o exemplo de meu amigo, pode acreditar, gentileza pega. O que não pega é a história de que Curitiba é ecológica. Há que se rever este conceito.

102347,59
Etiquetado , , , ,