Prefeitura de BH investe no combate à exploração infantil


Cerca de 900 crianças e adolescentes trabalham ou pedem esmolas nas ruas da cidade. A Maioria das crianças freqüenta a escola, mas tem baixo rendimento, diz prefeitura.

Cerca de 900 crianças e adolescentes trabalham ou pedem esmolas nas ruas de Belo Horizonte e a cada mês outras 100 seguem o mesmo caminho, segundo a Secretaria de Assistência Social.

Para combater a exploração infantil, o Ministério Público (MP) e instituições governamentais se mobilizam para conscientizar as famílias dessas crianças. Na Audiência Pública, mães das crianças que foram encontradas trabalhando ou pedindo esmola na capital assinam um termo de compromisso. Se seus filhos forem encontrados novamente nas ruas, elas receberão uma advertência.

Neste caso, o MP pode pedir a abertura de um processo criminal contra os pais, que podem até perder a guarda das crianças. De acordo com a prefeitura, a maioria das crianças freqüenta a escola, mas tem baixo rendimento. As crianças das famílias notificadas são encaminhadas para projetos sociais e os maiores de 16 anos indicados para programas de trabalho protegido.

Prefeitura de BH investe no combate à exploração infantil

Anúncios
Etiquetado , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: